Seja bem vindo, boa leitura, será um prazer teu comentário.
Ataíde Lemos
Palavras, uma viagem pelos sentimentos.
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
            Vanessa e as drogas 
 
     Vanessa era uma adolescente que despertava atenção de todos os garotos do bairro em que morava, bem como, chamava atenção por onde passava pela sua beleza e simpatia. Tinha apenas 15 anos, mas aparentava uns 18, devido sua estrutura física. Era loira, de cabelos ondulados 1,70 de altura, 55 kilos, uma pele bem clara. Enfim, uma adolescente que despertava desejo possuindo muitos pretendentes.
 
     Seus pais viviam sempre atentos com ela, por ser uma menina de personalidade difícil, pois era teimosa, preguiçosa. e também  por gostar de sair muito a noite seus pais a controlava impondo limites e isso provocava muito atritos dela com seus pais.
 
     Cursava o 1º ano do ensino médio, sempre seus boletins eram recheados de notas boas. Na maioria das vezes, logo no terceiro bimestre era comum fechar as notas passando para a próxima série.
 
     Adolescência é uma fase de descobertas, onde os jovens iniciam suas vidas afetivas, contestações, rebeldias, puberdade, etc. Uma fase de indagações e período onde inicia  os atrações por outras pessoas, a sexualidade e com Vanessa não foi diferente.
 
     Na escola onde estudava havia um jovem que se chamava Ricardo, tinha 18 anos, muito simpático que despertava os sentimentos de Vanessa. Este interesse era recíproco entre ambos, porém, Ricardo era um jovem namorador, vivia no meio da malandragem e ainda era um usuário e traficante de drogas.
 
     Com muita lábia, Ricardo pouco a pouco foi conquistando o coração de Vanessa, deixando-a cada vez mais apaixonada por ele. Os costumes e o comportamento de Ricardo foram influenciando a maneira de ser de Vanessa. Porém seus pais, ao perceberem o interesse da filha por este jovem, já conhecendo a fama deste rapaz, procurou de todas as maneiras evitar que os dois mantivessem um relacionamento até mesmo uma simples amizade, no entanto, as medidas usadas pelos pais para afastarem os dois criaram mais revolta ainda na filha deixando-a rebelde e provocando um clima péssimo naquele lar. Eram comuns as discussões entre eles e, por vezes, ela  ficava horas e horas trancada no quarto. No entanto, todas as barreiras que os pais criaram para distanciar os dois jovens não resolveu, pelo contrario, sempre arrumavam um jeito para se verem.
 
     Ricardo cada vez mais se entregava as drogas e já  não tendo como sustentar seu vicio fazia pequenos furtos e também começou a fazer tráfico. Vanessa, completamente apaixonada por ele, resistia ao apelo do namorado para experimentar drogas até que um dia ele a embriagou e sem que percebesse colocou drogas na bebida dela, fazendo-a sentir muito bem, criando nela um estado de euforia, uma sensação de liberdade, prazer. Um aumento de adrenalina, a partir de então, Vanessa deu inicio nas drogas.
 
     Ricardo percebendo que Vanessa encontrava completamente dependente, pois a todo instante lhe pedia drogas, passou usá-la para traficar. Isto é, somente lhe dava drogas caso ela conseguisse repassar para outras pessoas, e assim, Vanessa apaixonada por ele e completamente dependente cedeu ao seu pedido tornando-se também traficante, mas por ser uma jovem muito bonita e dependente passou a ser usada sexualmente por outros jovens traficantes que, sabendo de sua dependência lhe forneciam drogas em troca de atos sexuais. Ricardo completamente dependente, por vezes, obrigava Vanessa sair com outras pessoas, a fim de obter mais drogas para o seu consumo e para vendas.
 
     Vanessa vivia muitas humilhações sexuais, degradação moral e de sua dignidade de mulher. Varias vezes foi obrigada – pela dependência – manter relações com varias pessoas ao mesmo tempo, chegando a provocar três abortos que ocorreram por uso de medicamentos e um deles feito numa clinica clandestina.
 
     A vida dos pais de Vanessa, transformou-se num verdadeiro inferno com aquela situação da filha e por também não saberem como ajudá-la a sair das drogas. Eles (pais) não sabiam de nada que estava ocorrendo com a filha quanto a vida sexual intensa dela e a de prostituição, para eles o problema de Vanessa era somente com as drogas.
 
     Por varias vezes, os pais encontraram a filha em estado lastimável de drogadição e aquilo era motivo de brigas entre o casal, um sentimento de culpa envolveu  os dois. Vanessa, por varias vezes, ficava dias fora de casa sem que os pais soubessem por onde ela se encontrava, isto os levava a procurem no instituto médico legal, em delegacias, até que de repente, ela aparecia toda desfigurada, suja, maltrapilha.
 
     Seus pais internaram muitas vezes em clinicas, porém ficavam somente em dividas, pois Vanessa não conseguia terminar um tratamento sequer.  Era comum ao se encontrar intoxicada pedir ajuda, mas logo que melhora arrumava desculpas para abandonar o tratamento.
 
     Durante sete anos Vanessa teve uma vida totalmente destruída e escrava das drogas. Sua vida ativa de abusos sexuais e de drogadição apenas atenuou quando seus pais procuraram ajuda em grupos de apoio e com profissionais saúdes preparados. Assim, puderam acompanhar mais de perto a vida da filha nas drogas, evitando o máximo às investidas sexuais dos usuários de droga.
 
     Vanessa estava totalmente dependente, porém os pais passaram a ficar mais atentos e preparados para ajudar a filha tirando-lhe os espaços dela, mudando a maneira de dialogar com a filha, dando mais carinho, atenção. A partir daí a Vanessa começou a se abrir  mais com eles e perceber o estado que se encontrava.
 
     Muito embora, Vanessa houvesse internado muitas vezes, ela não buscava ajuda para sair das drogas, mas sim, desintoxicar-se. Porém, com seu estado critico e já se sentindo no fundo de poço e com o apoio da família despertou nela um desejo real de mudança e buscou tratamento com determinação de realmente sair daquela dependência biológica e psicológica que se encontrava.
 
     Mesmo com o apoio da família, determinação não foi fácil para Vanessa vencer as drogas Ela teve muitas recaídas, passou por períodos de intensa depressão, um vazio existencial. Teve que lutar bastante contra a ansiedade, a fissura das drogas e de toda uma identidade inconsciente que a dependência construiu em seu psicológico, porém, Vanessa manteve-se firme em sua decisão de vencer as drogas. e  mesmo quando recaía logo se reestruturava e firmava-se novo propósito sempre fortalecido pela família.
 
     E assim, Vanessa mesmo sofrendo as conseqüências biológicas e emocionais de sua vida na dependência – devido aos abortos, ficou estéril– conseguiu vencer as drogas, tornando-se uma moça feliz. Apesar de tudo que viveu, para ela sair do fundo do poço onde se encontrou já era motivo de felicidade.
 
     Vanessa passou a atuar em trabalho de prevenção ajudando mulheres envolvidas com drogas. Casou, adotou dois filhos e assim, a vida seguiu em frente, retornando assim, a paz tanto para ela, quanto para seus familiares.

 

Obs. Este nomes são nomes ficticios,
Ataíde Lemos
Enviado por Ataíde Lemos em 08/01/2007
Alterado em 10/07/2010
Comentários