Seja bem vindo, boa leitura, será um prazer teu comentário.
Ataíde Lemos
Palavras, uma viagem pelos sentimentos.
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Meu Diário
01/12/2010 22h56
A guerra das drogas deu uma trégua.
     Muitas pessoas estão felizes com o que houve no complexo do Alemão e tantas outras comunidades em relação à intervenção do Estado na cidade do Rio de Janeiro, acabando com o reduto dos traficantes. Realmente, foi um golpe dado a eles que mandavam naquelas comunidades e também acabando com o poderio deles.

     Porém é importante saber que toda esta realidade que se criou de paz transparente é uma situação provisória, por uma razão muito simples, ou seja, destruiu, desmontou, desarticulou estes donos do trafico, mas infelizmente, surgirão novos traficantes, pois se eliminou os que vendiam as drogas, mas os usuários e dependentes continuam a existir e continuarão, portanto, outros traficantes surgirão para manter seus prazeres e dependências.

     É importante, olhar para esta realidade voltando a alguns fatos do passado, inclusive que ocorreu no Rio em relação ao jogo do bicho. Muitos bicheiros foram presos, outros morreram e pergunto: acabou o jogo do bicho? Certamente que não, pois muitos são viciados em jogos e não deixam de fazerem suas fezinhas. Mas, o interessante é nunca mais se falou neles, como se tivessem acabado com a jogatina.

     Em relação às drogas é a mesma situação e ainda pior, ou seja, há muitos usuários de drogas que tem grande poder aquisitivo. Há muitos políticos, empresários, artistas que continuarão usando drogas e pagarão o preço que o mercado exigir para manter seu uso. Com a queda de muitos traficantes a cotação da droga triplicará estimulando muitos empresários a investir neste negocio ilícito suscitando novos traficantes.

     Como este comercio ressurgirá não há como prever. Em que Estados firmarão suas bases também não da para saber, mas algo sabe, ou seja, ela ressurgirá, pois como os usuários e dependentes continuarão e há muitos empresários que gostam de lucros fáceis e há muitos policiais e pessoas do poder público que se corrompem com facilidade.

     O grande trabalho do Estado é minimizar no máximo o quadro de violência que o trafico produz, ou seja, é fundamental que o Estado trabalhe para que adolescentes não sejam novamente recrutados tornando soldados dos novos traficantes que surgirão. É necessário que o Estado intervenha promovendo políticas de saúde, sociais, cultural para esta população de risco afastando-as o máximo do pode dos traficantes. Não há duvida que a situação do Rio de Janeiro tornou-se insustentável devido ao descaso do Estado, que preferiu compactuar com o crime através de sua omissão.
Publicado por Ataíde Lemos
em 01/12/2010 às 22h56